POLITICA

PR exonera José Filomeno dos Santos no Fundo Soberano de Angola

Publicado em: 11/01/2018 05:50:43
873 353
imagem de noticia

Fonte: Angonoticias.

O Presidente da República, João Lourenço, exonerou hoje José Filomeno dos Santos, "Zenú", do cargo de presidente do conselho de administração do Fundo Soberano de Angola (FSDEA), nomeando para o seu lugar Carlos Alberto Lopes, até aqui secretário para os Assuntos Sociais do Chefe de Estado.

Para além do presidente do FSDEA, José Filomeno de Sousa dos Santos, foram ainda exonerados os administradores executivos Hugo Miguel Évora Gonçalves e Miguel Damião Gago, e com o novo presidente foram nomeados Laura Alcântara Monteiro, Miguel Damião Gago, Pedro Sebastião Teta e Valentina de Sousa Matias Filipe.

Na recente conferência de imprensa alargada, João Lourenço já tinha admitido alterações no Fundo Soberano para breve, tendo anunciado que as mexidas deveriam ser anunciadas, como foram hoje, durante a semana em curso.

O FSDEA, criado em 2012 para gerir investimentos do Estado, tem a seu cargo 5 mil milhões de dólares.



Para além das mexidas nas lideranças das empresas públicas, João Lourenço pôs fim ao contrato do Estado com a Bromangol - que detinha o monopólio das análises laboratoriais de alimentos -, e terminou a ligação da TPA às empresas de Tchizé dos Santos e Coréon Dú, até aqui "cativas" como fornecedoras de conteúdos para a televisão estatal.


O ex-presidente do conselho de administração do Fundo Soberano de Angola deixa a instituição envolvido num rol de suspeitas de gestão danosa, expostas pelos escândalos Panama e Paradise Papers, desencadeados por gigantescas fugas de informação.


Logo após a divulgação desta investigação, o FSDEA emmitiu um comunciado onde nega quaisquer ilegalidades na gestão dos fundos do Estado, garantindo que a administração é feita segundo os mais elevados padrões internacionais existentes.


No caso do FSDEA, a ligação de José Filomeno dos Santos a Jean-Claude Bastos de Morais surge na berlinda, tendo em conta que o primeiro confiou ao segundo a gestão de 3 mil milhões dos 5 mil milhões do Fundo, apesar de o mesmo ter no historial uma recente condenação por crime económico.


Bastos de Morais foi condenado na Suíça por crimes na área financeira em 2011, surge como gestor do fundo, através da empresa Quantum Global. O empresário suíço-angolano - amigo de de longa data Zenú - aparece como beneficiário numa série de projectos financiados pelo FSDEA.

TAGS

José Filomeno dos Santos, Fundo Soberano, Jean-Claude Bastos, Desvio de verbas no FSDEA, Zenú.

Partilha esta notícia:
imagem de noticia

PUBLICIDADES

0 Comentarios
Seja o primeiro a comentar sobre esta notícia...